Jornal Nova Geração

A Administração Municipal de Bom Retiro do Sul promoveu na quinta-feira, dia 9, uma reunião com o Conselho de Cultura a fim de tratar sobre um inventário do casario histórico da cidade. “O encontro contou com a participação da comunidade, principalmente das pessoas nascidas aqui, que possuem mais conhecimento da nossa história”, explica o secretário de Administração e Planejamento, Carlos Dullius.

O principal objetivo do encontro é a discussão, de forma participativa, do inventário do município. O conselho e a comunidade, neste primeiro momento, buscaram identificar as casas com maior valor arquitetônico e patrimonial. “Esse é um primeiro passo que estamos dando. O tombamento indicado para o caso de Bom Retiro do Sul não acontece de forma individual, e sim no coletivo”, ressaltou Dullius, frisando a importância de preservar o patrimônio local.

Cerca de 50 casas

Com 62 anos de emancipação político-administrativa, o município de Bom Retiro do Sul possui, ao longo da Rua Senador Pinheiro Machado, mais vias adjacentes, em torno de 50 casas com valor histórico. “Mas incluiremos apenas aquelas moradias que têm um significado histórico para a cidade. Em determinada casa funcionou a primeira farmácia, primeiro prédio dos correios, entre outros estabelecimentos”, exemplifica a coordenadora de Memória e Patrimônio, Maria Delci Klunk.

Ainda, conforme Delci, é muito importante o encontro com pessoas que têm uma trajetória na comunidade, e que possuem um conhecimento dos primórdios, da história do município. “Fizemos um convite geral, para toda a comunidade, e também foram direcionados alguns convites para pessoas que têm esse conhecimento mais profundo e detalhado da história de Bom Retiro do Sul”, enfatiza.

Compartilhar conteúdo